Siga-nos!

YouTube pode censurar conteúdo conservador, diz decisão nos EUA

Juízes entendem que a plataforma é privada, logo, pode decidir quais temas são distribuídos através dela.

Avatar

Publicado

em

Youtube. (Foto: Kon Karampelas / Unsplash)

O Tribunal de Apelações do Nono Circuito dos EUA decidiu por unanimidade que o YouTube pode censurar conteúdo conservador, pois não é obrigado pela Primeira Emenda a permitir todos os pontos de vista em sua plataforma.

A decisão se deu por uma apelação feita pelo canal PragerU, que acusa o Google de censurar seus vídeos por conta do conteúdo conservador que eles apresentam.

Em primeira instância o grupo de youtubers já haviam perdido a ação, pois o tribunal negou o provimento ao processo argumentando que apesar de seu uso e visualização em larga escala, o YouTube continua sendo um fórum privado e não público.

“Apesar da onipresença do YouTube e de seu papel como plataforma pública, ele permanece um fórum privado, não um fórum público sujeito a escrutínio judicial sob a Primeira Emenda”, escreveu a juíza M. Margaret McKeown, segundo reportagem do Christian Post.

A decisão da segunda instância foi dada na semana passada e a CEO da PragerU, Marissa Streit, lamentou. “Como temíamos, o Nono Circuito entendeu errado, e a importante questão da censura on-line não teve um abalo justo no tribunal”, disse Streit.

“Infelizmente, parece que até o Nono Circuito tem medo de Golias – Google. Não terminamos de lutar pela liberdade de expressão e continuaremos avançando”, prometeu.

O PragerU tem mais de 1 milhão de inscritos e é apresentado pelo radialista Dennis Prager. Muitos dos vídeos do canal foram censurados pelo Google, sendo restrito apenas para maiores de 18 anos.

Trending