Siga-nos!

Política

Varejista brasileira Havan, de propriedade do apoiador Bolsonaro, puxa IPO

Publicado

em

ANÚNCIO

A rede de lojas de departamentos brasileira Havan SA, cujo fundador está sendo investigado como parte de sondagens em campanhas de desinformação, encerrou os planos de uma oferta pública inicial, disse a empresa em um arquivamento na terça-feira.

A empresa não revelou o tamanho da oferta, mas fontes disseram que uma porção de 5 bilhões de reais ($ 906 milhões) da oferta iria para expandir ainda mais a rede de 149 lojas, reconhecíveis pelas réplicas da Estátua da Liberdade que as enfeitam em todo o Brasil.

ANÚNCIO

Leia também: Brasil vai estender implantação militar na floresta amazônica em cinco meses

A mudança é um revés para Luciano Hang

Luciano Hang, também deve vender uma quantidade não revelada de ações.

Hang, que geralmente se veste com o verde e o amarelo da bandeira nacional do Brasil, é um defensor vocal do presidente Jair Bolsonaro.

ANÚNCIO
Varejista brasileira Havan, de propriedade do apoiador Bolsonaro
Foto: (reprodução/internet)

Nas últimas semanas, a mídia brasileira noticiou que Hang estava tendo dificuldades com a Oferta Pública Inicial planejada na bolsa de valores B3 do Brasil, porque os investidores não compartilhavam sua avaliação da empresa em cerca de 100 bilhões de reais (US $ 17,78 bilhões).

O IPO também pode ser outra vítima do surto de coronavírus. Apenas em outubro, oito empresas brasileiras arquivaram os planos de oferta de ações devido à incerteza econômica decorrente da pandemia.

Veja também: Evangélicos criticam Bolsonaro por indicação de Kassio Nunes ao STF

Hang é atualmente alvo de duas investigações sobre a suposta divulgação e financiamento de desinformação contra o Supremo Tribunal Federal. 

A investigação, que está sob sigilo judicial, foi iniciada em 2019.

No início deste ano, Hang disse em um post no Facebook que nunca atacou ou enviou notícias falsas contra a Suprema Corte.

Hang também está sob investigação por potencial disseminação de informações falsas durante as eleições presidenciais de 2018.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News

Fonte: Reuters

ANÚNCIO