Siga-nos!

Política

Só Deus ou o povo para me tirar da cadeira, diz Bolsonaro

Presidente da República criticou o isolamento social imposto por governadores e prefeitos.

Michael Caceres

Publicado

em

Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto (Isac Nóbrega / PR)

Jair Bolsonaro falava à imprensa nesta sexta-feira (22), quando declarou que existem interessados em tirá-lo da presidência, mas que somente Deus e o povo poderiam fazer isso, já que foi eleito democraticamente.

Para o presidente, as medidas de isolamento social estão prejudicando o Brasil e deixando o povo mais pobre, resultando no aumento dos casos de violência.

Ele afirma ainda que as medidas não funcionaram para o combate a covid-19, mas que tentam usar isso para causar uma crise econômica para prejudicá-lo.

“Essa política [de isolamento] não deu certo, está nos empobrecendo (…) Essa é a herança que estamos tendo, porque uma parte resolveu, através da economia, tirar o presidente da República da cadeira dele. Mas só me tira da minha cadeira dois entes: Primeiro Deus e depois o povo”, criticou.

Bolsonaro reconheceu suas “deficiências” como presidente da República, mas enfatizou que seu governo não tem acusações de corrupção, avisando que se um dia surgir algum caso, vai buscar punir o responsável.

“Eu procuro dar o melhor de mim. Sei das minhas deficiências, tanto é que o Paulo Guedes é o cara da economia (…) [Somos] um governo que, apesar de poucos recursos, não tem acusação de corrupção. Se tiver, vamos para o pau, na jugular do cara”, concluiu Bolsonaro.

Trending