Siga-nos!

Mundo

Sinovac afirma que sua vacina COVID-19 é mais eficaz com maior intervalo de dosagem

Publicado

em

A Sinovac Biotech da China disse na segunda-feira que um ensaio clínico no Brasil mostrou que sua vacina COVID-19 era quase 20 pontos percentuais mais eficaz em um pequeno subgrupo de pacientes que receberam duas doses mais separadas.

Sinovac afirma que sua vacina COVID-19 é mais eficaz com maior intervalo de dosagem

Foto: (reprodução/internet)

As afirmações de eficácia

A taxa de proteção para 1.394 participantes que receberam doses de CoronaVac ou placebo com três semanas de intervalo foi de quase 70%, disse um porta-voz da Sinovac.

Leia também: Itália suspende voos do Brasil em resposta a nova variante do coronavírus

Pesquisadores brasileiros anunciaram na semana passada que a eficácia geral da vacina foi de 50,4% com base nos resultados de mais de 9.000 voluntários, a maioria dos quais recebeu doses com 14 dias de intervalo, conforme descrito no protocolo do ensaio.

O porta-voz disse que um pequeno número de participantes recebeu sua segunda dose atrasada devido a vários motivos, sem dar detalhes.

O intervalo entre as doses das vacinas COVID-19 tornou-se um tema quente de debate entre cientistas, reguladores e governos.

Fique por dentro: Aprovação brasileira da vacina Sputnik V atrasada por falta de dados

Reguladores do Reino Unido disseram que uma vacina COVID-19 da AstraZeneca e da Oxford University é mais eficaz quando há um intervalo maior entre as doses do que o inicialmente previsto.

A Grã-Bretanha também decidiu permitir um intervalo maior entre as doses da vacina COVID-19 da Pfizer e da BioNTech, embora as empresas digam que só têm dados de eficácia para um período mais curto entre as vacinas.

O porta-voz do Sinovac alertou que a robustez dos dados do subgrupo foi mais fraca do que o resultado de 50%, que se baseia nos dados combinados daqueles que receberam doses com intervalo de duas ou três semanas.

Veja também: Brasil inicia campanha de vacinação na tarde de segunda-feira

Embora os pesquisadores da Sinovac tenham dito que os testes iniciais mostraram que um intervalo de quatro semanas induziu uma resposta de anticorpos mais forte do que duas semanas, esta é a primeira vez que a empresa divulgou dados de eficácia de um teste de Fase III com padrões de dosagem que diferem de seu protocolo de teste.

A Sinovac ainda não divulgou resultados globais de seus testes de Fase III, mas sua vacina COVID-19 foi aprovada para uso de emergência em vários países, incluindo Brasil, Indonésia e Turquia.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters