Siga-nos!

Política

Psicanalista diz que “família cristã” não vai sobreviver no planeta

“Nem família nem Cristo” diz Maria Homem ao atacar conservadores.

Michael Caceres

Publicado

em

Maria Homem (Foto: Reprodução/YouTube)

Uma psicanalista chamada Maria Homem avalia que a “família cristã” não vai sobreviver no planeta e que não haverá espaço nem para Jesus Cristo. Ao Inconsciente Coletivo, a psicanalista avalia que é possível atualmente até mesmo o chamado “trisal”, com três pessoas em uma única relação.

Maria Homem diz que “as formas são instáveis” e podem durar pouco, ou seja, em sua mente perturbada não é preciso ter uma relação que dure, mas é possível ficar mudando, inclusive de o tipo de relacionamento, de heterossexual para homossexual, por exemplo.

“Se tentar romper uma estrutura milenar da Igreja tema ‘contra-reforma’ e tema a inquisição e dói muito mais que tenha ‘hereges’ no momento em que você está perdendo a hegemonia de uma forma de pensar. É o que está acontecendo agora com um movimento que se diz orgulhosamente conservador”, disse de maneira irônica.

Claramente simpática ao pensamento esquerdista, Maria aproveita para atacar o presidente Jair Bolsonaro e avaliar os movimentos de defesa da cultura judaico-cristã como “bolsonarismo” que estaria perdido “diante deste novo universo que se configura”.

Utilizando-se de jargões feministas, frases ligadas a ideologia de gênero e avaliações de viés militante, a psicanalista também se utiliza de conceitos comunistas, como o uso da palavra “proletariado” para tentar criticar o capitalismo, atacando inclusive os Estados Unidos.

Quando questionada pelo jornalista Morris Kachani sobre o que deve sair “nesta queda de braço”, Maria Homem rebate: “Se a família tradicional cristã vai vencer? Não, não vai. Agora, talvez vença. Mas em termos macro, com certeza, não. Nem família nem Cristo. Eu nem sei se vai ter lugar para todo mundo no planeta”, radicaliza.

Ela é pesquisadora da Diversistas na Universidade de São Paulo (USP), que aborda temas polêmicos como diversidades, intolerâncias e conflitos, na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e professora da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) nas áreas de psicanálise, cinema, literatura e comunicação.

Trending