Siga-nos!

Mundo

Procurador-geral do Panamá buscará multas não pagas da Odebrecht

Publicado

em

A procuradoria-geral do Panamá vai pedir a um juiz que ordene à Odebrecht o pagamento das multas devidas em 2019 e 2020, depois que o conglomerado brasileiro enredado pela corrupção não pagou, disse o promotor Anilu Batista na sexta-feira.

Procurador-geral do Panamá buscará multas não pagas da Odebrecht

Foto: (reprodução/internet)

Requisição de pagamento de multas

Autoridades panamenhas multaram a Odebrecht em 2017 por pagamento de propina em troca de contratos de construção no país da América Central.

Veja também: Variante do coronavírus sul-africano detectada em caso de reinfecção no Brasil

A empresa deve mais de US $ 35,5 milhões, disse uma fonte judicial do gabinete do procurador-geral. A Odebrecht não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A Odebrecht fez os pagamentos de 2017 e 2018 e também um adiantamento de R $ 1,1 milhão para 2019, informou a fonte.

O procurador-geral do Panamá e a empresa, que desde então entrou com pedido de recuperação judicial, negociaram em 2017 um acordo que estipula pagamentos no total de US $ 220 milhões distribuídos em 12 anos.

Leia também: Japão encontra nova variante do coronavírus em viajantes do Brasil

Batista disse em entrevista coletiva virtual na sexta-feira que o escritório vai solicitar uma audiência com um juiz para estabelecer que a Odebrecht não pagou as taxas estabelecidas e uma multa de 5%.

O Panamá investigou projetos de infraestrutura realizados nos três últimos governos. Tania Sterling, a promotora anticorrupção do país, disse que a investigação foi concluída com a acusação de 101 pessoas.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters