Siga-nos!

Sociedade

Poder e dinheiro podem ter motivado assassinato de Anderson do Carmo

Inquérito aponta que influência do pastor estaria incomodando Flordelis.

Avatar

Publicado

em

Anderson do Carmo e Flordelis. (Foto: Reprodução / Facebook)

Os investigadores concluíram que o assassinato do pastor Anderson do Carmo foi motivado por disputas de poder e dinheiro. Morto em junho de 2019, o inquérito aponta que a cantora e deputada Flordelis dos Santos foi a mandante do crime.

Segundo os investigadores, Flordelis estaria incomodada com o fato de o marido ter tomado espaço demais dentro de ministério, na casa e até mesmo no gabinete em Brasília. A deputada estaria insatisfeita com a presença do marido e seu carisma.

Flordelis ficou conhecida no início dos anos 2000 por conta de sua história como missionária que tinha adotado mais de 40 filhos, a maioria dos adotivos tirados da violência. Sua dedicação e esforço acabou atraindo muita admiração e abrindo portas ao lado do marido.

A presença de Anderson ao lado da esposa era algo normal de se ver, já que ambos sempre demonstraram ter bastante afeto um pelo outro. Os dois eram vistos jutos nos cultos, em eventos, em programas de entrevista, compromissos, era ele quem cuidada da agenda e compromissos da cantora, que depois viria a ser eleita na Câmara dos Deputados.

Para a nora do casal, Luana Rangel, as histórias sobre supostas orgias sexuais do casal e até mesmo aliciamente dos próprios filhos que seriam oferecidos sexualmente a pastores, são incoerentes com a realidade. Ela afirma que ele era quem colocava ordem na casa e que o depoimento que colocou os dos como frequentadores de casas de swing não batem.

Essa história é muito fantasiosa a meu ver. Frequentei a casa durante seis anos. Meu marido morou o tempo todo lá. Nunca vimos nada que pudesse despertar isso ou nos fazer desconfiar. Se faziam, era tão escondido, que nenhum membro sabia”, acredita Luana.

Trending