Siga-nos!

Política

Petista ataca irmão Lázaro: “Bahia não merece” senador que vota em Bolsonaro

Jaques Wagner nega que tenha atacado evangélicos

Avatar

Publicado

em

Jaques Wagner e Irmão Lázaro.

Ex-vocalista do Olodum, e atualmente cantor gospel, Irmão Lázaro (PSC), concorreu pela primeira vez a um cargo político em 2014, sendo eleito o terceiro Deputado Federal mais bem votado da Bahia. Este ano decidiu concorrer a uma vaga no Senado e desponta nas pesquisas com 22%, favorito para ficar com a segunda vaga.

Em primeiro lugar nas intenções de voto aparece Jaques Wagner (PT), um dos nomes da legenda mais próximos ao ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba e deverá cumprir pena de 12 anos por corrupção e lavagem de dinheiro.

O jornal Tribuna da Bahia, divulgou uma fala de Wagner onde ele diz que a Bahia não pode permitir que um candidato evangélico que ainda por cima faz campanha para Jair Bolsonaro possa ocupar a segunda vaga a que o Estado tem direito no Senado. “A Bahia não merece isso”, disparou.

Em sua campanha, o petista usa o lema “Wagner é Lula”. O presidente do PSC/Bahia, Heber Santana, indignou-se com a declaração do petista e afirmou que o segmento evangélico merece respeito.

“É [Jaques] Wagner que não merece votos dos evangélicos”, sentenciou. Ressaltou ainda que “precisamos no Senado é de pessoa honestas e de conduta sem máculas, como Lázaro”.

Direito de resposta

A assessoria de Jaques Wagner entrou em contato com o Gospel Prime e pediu direito de resposta. A nota é reproduzida abaixo na íntegra e foi publicada também no jornal Tribuna da Bahia.

“Ao contrário do publicado pela Tribuna, o ex-governador Jaques Wagner (PT) não disse que o deputado federal Irmão Lázaro (PSC) não deveria ser eleito ao Senado por ser evangélico, mas por defender a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência da República, projeto frontalmente contrário ao petista. O fato ainda tentou ser capitalizado pelo presidente do PSC na Bahia, Heber Santana, para tentar ajudar na candidatura de Lázaro, mas ele foi obrigado a recuar ao constatar que Wagner nunca deu a declaração. Portanto, o colunista responsável pela nota errou”.

Político popular

Lázaro preferiu não se manifestar. Ele continua sendo o político mais popular do Facebook no Brasil, com mais de 8,5 milhões de seguidores – número maior que o de Jair Bolsonaro (PSL), que acumula 6,5 milhões.

Em março, o cantor afirmou que estava confiante que possui uma missão a cumprir no Congresso. “A única instituição que tem condições de fazer limpeza é a igreja. Se a igreja quiser realmente assumir esse papel de continuar nesse campo de batalha e resgatar a moral, os bons costumes, é preciso entender que a Igreja de Jesus é a solução para o nosso país”.

Trending