Siga-nos!

Sociedade

Pesquisa: Bolsonaro bate todos os oponentes nas eleições de 2022

Presidente da República cresce no nordeste, principal reduto do PT.

Michael Caceres

Publicado

em

Jair Bolsonaro e Sérgio Moro (Adriano Machado / Reuters)

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Paraná nesta sexta-feira (24) aponta que o presidente da República, Jair Bolsonaro, venceria todos os oponentes em 2022. A pesquisa foi divulgada por Veja e incluiu Sergio Moro como possível candidato.

A pesquisa aponta que apesar de toda a crise enfrentada pelo atual governo, Bolsonaro segue sendo o favorito para reeleição, mesmo diante de todos os ataques sofridos por adversários políticos, incluindo boicote do Poder Legislativo e do Judiciário.

Na visão de especialistas, Bolsonaro consegue expressar bem os anseios da sociedade, de maioria conservadora, que vê sinceridade em suas falas, mesmo sendo tão polêmicas. As manobras de membros dos outros poderes também beneficiaram o presidente.

Segundo dados do levantamento, os nordestinos ainda são os brasileiros menos afeitos ao presidente, porém os que desaprovam o governo caíram de 66,1% para 56,8% entre abril e julho e os que aprovam subiram de 30,3% para 39,4%.

A pesquisa mostra que Bolsonaro lidera todos os cenários de primeiro  e segundo turno, com porcentuais que vão de 27,5% a 30,7%, derrotando todos os seis potenciais adversários na corrida ao Planalto em 2022. Entre os nomes estão Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-­prefeito Fernando Haddad (PT), o ex-­governador Ciro Gomes (PDT), o ex-­ministro Sergio Moro, o governador paulista João Doria (PSDB) e o apresentador Luciano Huck

Em uma disputa de segundo turno, depois do inelegível Lula, o ex-ministro Moro é quem mais se aproxima de Bolsonaro, alcançando 35%, contra 44,7% do atual chefe do Executivo. Moro não chegaria ao segundo turno se o nome de Lula fosse incluído na disputa.

Embora tenha sido condenado e preso na Lava Jato, o ex-presidente, que está inelegível pela Leida Ficha Limpa, tem ainda um forte eleitorado, tendo vantagem sobre o presidente entre os nordestinos (34,1% a 18,7%) e entre eleitores que estudaram até o ensino fundamental (31,5% a 21%).

Trending