Siga-nos!

Sociedade

Papai Noel não vem à cidade quando a pandemia atinge

Publicado

em

O Natal não foi apenas uma época de alegria para Gino Esposito, foi um trabalho.

Papai Noel não vem à cidade quando a pandemia atinge

Foto: (reprodução/internet)

Papai Noel não vem durante covid-19

Com cintura grossa e longa barba grisalha, Esposito é um Papai Noel profissional que se arruma para ouvir os desejos de Natal das crianças nos shoppings do Rio de Janeiro.

Veja também: Assaltantes de banco armados invadem Cametá no Pará e enfrentam polícia nas ruas

Mas este ano o coronavírus e as restrições sociais que ele traz dizimou a demanda. A fantasia de Esposito está pendurada, sem uso.

É triste, disse Esposito à Reuters na banca de jornal que dirige, decorada com fotos de orgulhosas aparições de Natal.

“Eu não posso ser o Papai Noel. A epidemia está aí e a gente se sente deslocado”, disse ele. “Você se acostuma com o hábito todo ano.”

COVID-19 já matou mais de 170.000 pessoas no Brasil, o segundo maior número de mortes do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Fique por dentro: Primeiras doses da vacina AstraZeneca devem chegar ao Brasil até fevereiro

Após um breve hiato, os casos estão aumentando em todo o país novamente.

Limachem Cherem, que dirige uma escola Santa no Rio, disse que a demanda local pelo Pai Natal caiu cerca de 60% a 70%.

apenas um desejo na boca de todos este ano, de acordo com Cherem.

Leia também: Brasil supera 174.500 mortes de COVID-19

“O principal presente não só para as crianças, mas acho que para todos quando vêm falar com o Papai Noel é a vacina (COVID-19).

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters