Siga-nos!

Sociedade

“O diabo existe”, lembra associação de exorcistas

Grupo formado por 350 padres exorcistas criticam relativização da existência de satanás.

Avatar

Publicado

em

Cena de "O Ritual" com Anthony Hopkins. (Foto: Divulgação)

A Associação Internacional de Exorcistas (AIE) emitiu um comunicado oficial declarando que o diabo existe e criticando a fala de um padre que relativizou a existência do demônio.

Em entrevista à revista italiana Tempi, o padre Arturo Sosa Abascal, superior da Companhia de Jesus, disse que o diabo é o mal personificado e não um espírito que pode entrar nas pessoas.

“É necessário entender os elementos culturais para se referir a esse personagem. Na linguagem de Santo Inácio, é o espírito maligno que leva você a fazer as coisas que vão contra o espírito de Deus. Existe como mal personificado em várias estruturas, mas não nas pessoas, porque não é uma pessoa, é uma forma de executar o mal”, disse o sacerdote.

A AIE, que reúne cerca de 350 exorcistas de trinta países, disse no comunicado que declarações do padre Abascal são “graves” e “desorientadas”, porque “a existência real do diabo, como sujeito pessoal que pensa e age e que fez a escolha de se rebelar contra Deus, é uma verdade de fé que sempre fez parte da doutrina cristã”.

A tradição litúrgica da Igreja Católica admite a existência do diabo, o ensinamento da Santa Sé pede aos fiéis que renuncie ao demônio. O tema era muito falado nas igrejas até a década de 60, quando o Concílio Vaticano II, trouxe mudanças litúrgicas.

O Papa Francisco tem falado bastante sobre o diabo em seus sermões. Logo depois de sua eleição, por exemplo, ele declarou: “Quando não se confessa Jesus Cristo, confessa-se o mundanismo do diabo, o mundanismo do demônio”.

Trending