Siga-nos!

Opinião

Nem todas as vidas negras importam para os abutres

Sua morte será celebrada ou lamentada a depender do seu pensamento político e religioso.

Maycson Rodrigues

Publicado

em

Fabiana Anastácio
Fabiana Anastácio (Reprodução)

A cantora gospel Fabiana Anastácio morreu nesta semana e a notícia de seu falecimento nas redes gerou uma grande comoção por parte de muitos irmãos e irmãs na fé.

No entanto, infelizmente não houve apenas manifestações de solidariedade; tivemos também os deboches de alguns abutres que transitam pelo Twitter desfilando ódio, preconceito, intolerância religiosa e, por que não, racismo, uma vez que estamos falando de uma mulher negra.

Chama atenção o fato de que este tipo de gente também vai ao Twitter pedir “fogo nos racistas”. Teriam eles algum tipo de pensamento suicida?

A régua moral destes monstros existenciais é tão baixa que não se dão conta de que se tornaram uma incoerência ambulante, porque militam por uma igualdade social que não inclui todas pessoas de forma indistinta.

Respeitam apenas aqueles que pensam como eles e apoiam apenas quem se curva e adora a entidade chamada “patrulha ideológica”.

Você ser negra, pobre, lgbtqi+ e deficiente visual que, se for de um pensamento político conservador, terá sua futura morte celebrada publicamente nas redes.

Se você não for isso tudo, mas for uma mulher negra, evangélica, famosa e morrer de covid-19, sua família terá o desprazer de ler comentários feitos por seres monstrificados; porque a milícia digital progressista é altamente intolerante, totalmente incongruente em suas posições e humana e existencialmente falida.

Estes comprovam a imaturidade desta democracia e o fato de que as redes sociais verdadeiramente deram voz a todo tipo de ser abjeto, que jamais deveria ser ouvido na vida por ninguém que tenha um pingo de bom senso e autoconsciência de que seu tempo é precioso demais para ser gasto com imbecilidades.

Entretanto, assim é o ambiente em que estamos inseridos e precisamos aprender que tudo isso serve para alertar os cristãos de que eles não devem se sujeitar ao espírito da cultura vigente, pois eles se ofendem conosco pelo simples fato de que o evangelho que nos salvou os afronta a consciência de manhã e de noite.

Todas as vidas negras importam? Pelo visto não para esses progressistas libertinos e ateus de rede social.

Casado com Ana Talita, seminarista e colunista no site Gospel Prime. É pregador do evangelho, palestrante para família e casais, compositor, escritor, músico, serve no ministério dos adolescentes da Betânia Igreja Batista (Sulacap - RJ), na juventude da PIB de Vilar Carioca e no ministério paraeclesiástico chamado Entre Jovens. Em 2016, publicou um livro intitulado “Aos maridos: princípios do casamento para quem deseja ouvir”.

Trending