Siga-nos!

Mundo

Não há como realizar o carnaval carioca em julho, diz prefeito da cidade

Publicado

em

Não será possível celebrar o carnaval em julho, disse o novo prefeito do Rio de Janeiro nesta quinta-feira, enquanto a segunda onda de infecções por coronavírus no Brasil ganha força com o fornecimento de vacinas ainda assustador no maior país da América Latina.

Não há como realizar o carnaval carioca em julho, diz prefeito da cidade

Foto: (reprodução/internet)

Cancelamento do carnaval

Eduardo Paes tuitou que estava ciente dos benefícios econômicos e culturais que a mundialmente famosa festa, inicialmente marcada para o mês que vem, traz para a cidade. Mas ele disse que não havia como ser realizado mesmo no meio do ano.

Fique por dentro: Amor na época do COVID-19? ‘Não, obrigado’ dizem os casais divorciados do Brasil

“Não faz sentido para mim pensar neste momento que seremos capazes de realizar o carnaval em julho”, disse ele em um tópico do Twitter com fotos suas em comemorações anteriores. “Gostaria de informar que não teremos carnaval no meio do ano em 2021.”

O último atraso nas comemorações deste ano não é uma surpresa. O Brasil está se recuperando de uma segunda onda brutal de uma pandemia que ceifou mais de 200.000 vidas, o segundo maior total do mundo depois dos Estados Unidos.

Enquanto isso, o governo está sob pressão crescente devido ao ritmo lento de implantação da vacina.

Leia também: Brasil diz que receberá dois milhões de doses de AstraZeneca até sexta-feira da Índia

Em setembro, as escolas de samba do Rio decidiram adiar as comemorações. A Liesa, liga independente de samba, não deu nova data para o festival, dizendo que dependeria de vacina.

As 13 melhores escolas de samba do Brasil normalmente desfilam no Sambódromo diante de até 90.000 residentes locais, turistas e VIPs celebrando o Carnaval, com a data mudando anualmente conforme o festival precede o período católico romano da Quaresma.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters