Siga-nos!

Sociedade

Justiça suspende AGE da CGADB que julgaria o processo contra pastor

Ao lado de Samuel Câmara, Jônatas Câmara e Sóstenes Apólos (in memorian) o 1º Tesoureiro era acusado de tumultuar encontro de pastores

Avatar

Publicado

em

O juiz José Renier da Silva Guimarães, da 5ª Vara Cível da Comarca de Manaus (AM) suspendeu a AGE (Assembleia Geral Extraordinária) da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) que aconteceria no próximo dia 2 de setembro na sede da Assembleia de Deus Belenzinho em São Paulo.

A reunião marcada pela Mesa Diretora teria como pauta o julgamento do 1º da convenção, o pastor Ivan Bastos, e a confirmação da expulsão dos pastores Samuel Câmara e Jônatas Câmara.

Com a decisão Bastos, que estava afastado do cargo, volta a exercer a função de tesoureiro e o pastor Jônatas Câmara é reintegrado ao quadro de associados da CGADB, procedimento que já havia sido adotado com Samuel Câmara.

Os pastores Ivan Bastos, Sóstenes Apólos (já falecido), Samuel Câmara e Jônatas Câmara foram acusados de tumultuar a AGE que aconteceu no Nordeste em 2012, gerando um processo disciplinar que gerou a exclusão de todos os envolvidos, menos de Bastos que por ser Tesoureiro da Convenção Geral só poderia ser julgado em uma reunião especial que seria realizada no próximo dia 2.

Ao julgar o recurso dos pastores, o juiz entendeu que o julgamento da mesa evidencia “a ofensa clara ao direito de ampla defesa dos requerentes, submetidos a processos disciplinares castradores de sua independência como membros eminentes da entidade religiosa”.

Se a CGADB não suspender a AGE ou se negar a reintegrar o pastor poderá pagar multa diária de R$20.000,00.

Leia a nota escrita por Samuel Câmara sobre a decisão:

Em virtude da insistente inflexão da Mesa Diretora da CGADB em não buscar a conciliação, mas insistir em querer impor arbitrariamente o seu desejo de promover mais uma cisão nas Assembleias de Deus do Brasil, a Justiça foi outra vez o caminho para corrigir os rumos erráticos de nossa entidade maior.

Em decisão proferida ontem, o juiz José Renier da Silva Guimarães, da 5ª Vara Cível da Comarca de Manaus, AM, concedeu tutela antecipada, na qual suspende o andamento do Processo Ético Disciplinar n° 36/12 e seus apensos, n° 024/12, 026/12, 037/12 e 043/12, determina a suspensão da AGE da CGADB, marcada para o dia 02 de setembro, em São Paulo, SP, além de determinar a imediata reintegração do pastor Ivan Bastos ao exercício de suas funções como 1° tesoureiro.

Com isso, a medida estendeu os benefícios da reintegração do pastor Samuel Câmara aos demais demandados pela Mesa Diretora da CGADB, pastor Jônatas Câmara, Sóstenes Apolos (in memoriam) e Ivan Bastos, e determinou multa diária no valor de R$ 20.000,00 por atraso não justificado da presente decisão.

Continuamos a orar para que a Mesa Diretora volte ao equilíbrio que deve nortear a condução da CGADB. Não queremos a cisão, não estamos em busca disso e tudo faremos em favor da unidade assembleiana (ASCOM).

Trending