Siga-nos!

Sociedade

Igrejas de Maceió precisam da autorização de vizinhos para funcionar

O novo Código de Posturas faz exigências que as igrejas mais antigas não conseguem cumprir

Avatar

Publicado

em

As normas do Código Municipal de Posturas da cidade de Maceió fizeram com que diversas igrejas fossem fechadas, pois não estão de acordo com essas novas regras.

De acordo com o jornal A Gazeta de Alagoas, os templos são antigos e não atendem as exigências estabelecidas agora, como por exemplo, ter a autorização dos vizinhos para funcionar, ter portas que abrem para fora e não possuir estacionamento.

Há algumas semanas a Igreja Batista Feitosa foi lacrada por falta de habite-se, já que não atende a essas normas, e a liderança nem se quer foi avisa sobre a decisão da Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU).

Os pastores de Maceió se uniram e foram até a prefeitura cobrar explicações e tentar encontrar uma forma de fazer com que esses templos antigos não sejam prejudicados com as condições impostas pelo governo municipal.

“Foi muito proveitoso esse primeiro diálogo com o prefeito, o superintendente da SMCCU e o secretário do Meio Ambiente. Discutimos assuntos eclesiásticos de nossas instituições para saber como as igrejas podem atender às exigências do Código de Posturas sem prejuízos ao trabalho que prestam à sociedade”, disse o pastor Jonas Bispo da Convenção Batista Alagoana.

Participaram dessa reunião o secretário-adjunto de Administração do Município, ex-vereador e evangélico Alan Balbino, o superintendente da SMCCU, Reinaldo Braga, e do secretário de Proteção ao Meio Ambiente (SEMPMA), David Maia de Vasconcelos Lima além de assessores e técnicos da prefeitura.

Braga admitiu que houve omissão da SMCCU sobre o fechamento da Igreja Batista Feitosa pela falta de comunicado sobre as novas regras e por não dar prazo para que a igreja fizesse as alterações necessárias.

No mais, o superintendente do órgão municipal colocou duas técnicas de sua pasta para atender, solucionar ou encaminhar as demandas das igrejas para que elas se adéquem ao novo Código.

Trending