Siga-nos!

Mundo

Grupo de juristas e filósofos quer “constituição mundial”

Instrumento serviria de “bússola” para todas as nações

Neto Gregório

Publicado

em

Conselho de Direitos Humanos da ONU. (Foto: ONU / Elma Okic)

A pandemia global de Covid-19, causada pelo novo coronavírus, tem ressuscitado ideias de um governo mundial preditas pelas profecias bíblicas. Um grupo de ativistas, juristas e filósofos quer uma construir “constituição mundial” para servir de “bússola” da humanidade.

No final do mês passado, o ex-primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, já havia sugerido a criação de um governo mundial, também usando a pandemia como justificativa para a ideia.

O ex-juiz e filósofo Luigi Ferrajoli afirmou ao jornal El País que a construção da lei universal “não é uma hipótese utópica”. Ele acredita que essa é a “única resposta racional e realista” para problemas como “insegurança geral da liberdade selvagem” e “coexistência pacífica”.

Uma assembleia reuniu o grupo que debate a ideia em Roma, no dia 21 de fevereiro deste ano. A ideia não é nova, vem sendo proposta pelo jornalista italiano Raniero La Valle há anos e foi discutida formalmente em Roma, em dezembro do ano passado.

Ferrajolia afirma que não há proposta de um governo do mundo, a exemplo de Gordon Brown, mas sim uma “regra de compromisso e a bússola de todos os Governos para o bom governo do mundo”. Ou seja, ele quer ditar como os Estados devem governar, mas exclui a ideia de um governo único.

Dessa forma, acredita ele, “a unidade humana que alcança a existência política, estabelece as formas e os limites de sua soberania e a exerce com o propósito de continuar a história e salvar a Terra”.

Josu de Miguel, professor de Direito Constitucional da Universidade da Cantábria, na Espanha, simplifica e conclui o assunto: “A Constituição da Terra é a carta das Nações Unidas”.

Filho, esposo e pai.

Trending