Siga-nos!

Opinião

Gabriel Monteiro, a máquina de moer do sistema e a confiança em Deus

PM está sob ameaça e teve porte de arma caçado.

Michael Caceres

Publicado

em

Gabriel Monteiro (Foto: Reprodução/Facebook)

O policial militar Gabriel Monteiro, militante de direita — homem corajoso, capaz e que ousou desafiar o sistema — está sendo alvo de uma injustiça sem limites, foi jogado a própria sorte nos braços dos bandidos do Rio de Janeiro.

Isso porque ousou questionar a presença de um coronel militar em uma das áreas comandadas pelo Comando Vermelho, onde foi recebido sem nenhuma estrutura de segurança ou aparato, mas sozinho. Monteiro questionou como é possível tal proeza. Quis saber como o coronel Ibis conquistou essa liberdade.

Pois bem! Gabriel Monteiro parece ser do tipo ousado e que vive com propósito. Já foi ameaçado de morte diversas vezes, virou alvo de facções criminosas do Rio de Janeiro e agora — pasmem! — teve seu porte de armas caçado e pode ser expulso da PM.

Como reconhece o próprio: “o poder do sistema é muito forte”. E é justamente a máquina de moer do sistema que lançou o jovem militante nas mãos dos bandidos. Há quem goste condenar o xerife para proteger o bandido!

De todo modo, Monteiro já vinha conquistando uma audiência muito grande e qualquer injustiça contra ele não passará em branco, terá os olhares de cidadãos de bem de todo o país. Se algo acontecer a ele, todos saberemos os culpados.

Se vierem a expulsar o militar da corporação, todos entenderemos o motivo. Saberemos que as relações do sistema com o crime podem ser ainda mais profundas. Entenderemos como uma afronta direta aos cidadãos de bem.

Não sou carioca. Se fosse, estaria ainda mais envergonhado do que estou como brasileiro. A decisão da PM do Rio de Janeiro contra o militante é de uma truculência que não cabe explicação. Beira a uma “censura branca”.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, Gabriel Monteiro diz que recebeu denúncias contra o coronel Ibis, que supostamente teria envolvimento com o crime organizado do Rio de Janeiro. Gabriel diz que pelo fato de questionar o coronel ele está sendo punido.

Visivelmente abalado, o PM é a imagem da nossa indignação com o sistema corrupto. Afirmou que sua dignidade não pode ser abalada e demonstrou confiança em Deus: “No juízo de Deus não haverá coronel. Não haverá coronel, soldado, cabo, haverá somente seres humanos. E vocês vão ser condenados como nunca viram”, disse.

Assista, volto depois:

POSSO MORRER! EXPULSO DA PM!

Posted by Gabriel Monteiro on Thursday, March 5, 2020

O que importa agora é a vida de Gabriel, sua segurança diante das ameaças que sofreu. Expulsá-lo apenas por questionar a presença de um coronel no reduto do crime é algo injustificável. E, pelo que falou, não outras acusações se não essa.

Dito isso, é preciso lembrar que denuncias contra a relação de policiais com o crime organizado é algo corriqueiro. O que não se vê, no entanto, é esses policiais sendo punidos, investigados e expulsos. A corregedoria da Polícia Militar ignora esses fatos.

Concluo, portanto, parabenizando Gabriel Monteiro pela coragem. Devemos lutar por um país melhor, por justiça e confiar em Deus. O caminho ainda é longo e doloroso, mas nós vamos mudar o Brasil. Inocentes não mais pagarão pelos perversos.

Trending