Siga-nos!

Mundo

Erdogan diz na ONU que Israel é “originalmente palestino”

Líder turco criticou a expansão de Israel sobre as terras palestinas.

Publicado

em

ANÚNCIO

Nesta terça-feira (24), o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, fez duras críticas a Israel durante seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Ele criticou o plano do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, de expandir a soberania de Israel aos assentamentos da Cisjordânia declarando que todo o território israelense é palestino.

ANÚNCIO

“Israel, que era quase inexistente em 1947, continua até hoje a tomar terras palestinas com o objetivo de eliminar o estado e o acordo do século apoiará essas ambições territoriais”, declarou Erdogan segundo reportagem do The Jerusalem Post.

Erdogan não falou da recusa dos países árabes em aceitar a Resolução 181 da Assembléia Geral da ONU, o plano de partição de 1947 que criaria estados judeus e palestinos.

Ele também não falou do ataque da Jordânia contra Israel durante a Guerra dos Seis Dias – apesar dos apelos israelenses ao rei Hussein para ficar de fora dos combates – em resposta à qual Israel lutou contra o controle da Cisjordânia.

ANÚNCIO

“Onde estão as fronteiras do Estado de Israel? São as fronteiras de 1947, as fronteiras de 1967 ou existe outra fronteira que precisamos conhecer?”, questionou o presidente turco diante de lideranças mundiais.

Para ilustrar sua fala, Erdogan levou quatro mapas para mostrar as mudanças da fronteira de Israel desde 1947 até hoje. Nas imagens, a área palestina aparece em verde e Israel em branco. 

Erdogan também falou contra o reconhecimento dos EUA da anexação de Israel das Colinas de Golã, em 1981.

“Como as colinas de Golã e os assentamentos da Cisjordânia podem ser apreendidos como outros territórios palestinos ocupados diante dos olhos do mundo?”, questionou.

O presidente turco continuou seu discurso dizendo que o governo de Donald Trump pretende destruir o Estado palestino ao propor solucionar o conflito entre palestinos e israelenses.

“Todos os atores da comunidade internacional e, em particular, da ONU, devem fornecer apoio completo ao povo palestino além de mais promessas”, exigiu Erdogan.

Ele disse que 1947 foi o ano em que “a terra palestina começa a encolher e Israel começa a se expandir” e acrescentou que “Israel ainda está se expandindo e a Palestina está ainda está encolhendo”.

Ele pediu à ONU que tome medidas e faça cumprir suas muitas resoluções contra Israel, pois “Israel ainda está disposto a dominar o restante da terra”, segundo Erdogan.

O presidente turco disse que apoiava uma solução de dois estados na linha anterior a 1967 e alertou os EUA que qualquer outra resolução não funcionaria.

“Qualquer outro plano de paz que não seja esse nunca terá a chance de ser justo, e nunca será implementado”, finalizou Erdogan.

ANÚNCIO