Siga-nos!

Política

Doutor em antropologia, ex-missionário é indicado para chefiar o órgão de proteção a índios

Ricardo Lopes Dias trabalhou como missionário evangélico entre indígenas da Amazônia.

Michael Caceres

Publicado

em

Tribo indígena. (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)

A chefia da Coordenação Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC), órgão da Fundação Nacional do Índio (Funai), poderá ficar a cargo de Ricardo Lopes Dias, antropólogo que trabalhou por dez anos como missionário entre indígenas da Amazônia.

Dias atuou entre 1997 e 2007 na Missão Novas Tribos do Brasil (MNTB), organização com origem nos EUA que promove a evangelização de indígenas brasileiros desde os anos 1950.

Sua nomeação para o cargo depende de uma decisão da presidência da Funai, Marcelo Augusto Xavier da Silva, mas Dias afirma ter desejo de assumir o cargo.

“Nunca escondi e não escondo meu trabalho no passado como missionário, mas hoje sou antropólogo, com mestrado e doutorado em universidades públicas de três Estados”, disse à BBC News.

O seu currículo inclui doutorado em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC (UFABC), mestre em Ciências Sociais (Antropologia) pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e bacharel em Antropologia pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Ele também é bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana (FTSA) e fez pós-graduação em Antropologia Intercultural pela UniEvangélica, em Anápolis (GO).

Trending