Siga-nos!

Política

Dias Toffoli admite “censura” do STF como “editor” do país

Ministro comparou Corte a um editor em um jornal.

Publicado

em

ANÚNCIO

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, admitiu nesta terça-feira (28) que houve “censura” contra as redes sociais de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Toffoli comparou o Supremo como um “editor” de um jornal, mas que no caso da Corte envolve a sociedade, admitindo que os ministros têm atuado de forma a controlar o tipo de informação que a sociedade recebe nas redes sociais.

ANÚNCIO

“Todo órgão de imprensa tem censura interna. Em que sentido? O seu acionista ou o seu editor, se ele verifica ali uma matéria que ele acha que não deve ir ao ar porque ela não é correta, ela não está devidamente checada, ele diz: ‘Não vai ao ar’”, explicou.

Ele participava de um webinar sobre liberdade de expressão promovido pelo Poder360 e peloObservatório de Liberdade de Imprensa do Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), com apoio da CCR.

“Nós, enquanto Judiciário, enquanto Suprema Corte, somos editores de um país inteiro, de uma nação inteira, de um povo inteiro”, continuou Toffoli.

ANÚNCIO
ANÚNCIO