Siga-nos!

Política

Defensor de “religião do diabo” chama Bolsonaro de “anticristo”

Amigo de Lula, Leonardo Boff é expoente da “teologia” da libertação.

Michael Caceres

Publicado

em

Leonardo Boff e Bolsonaro (Foto: Guilherme Santos/Sul21 | Carolina Antunes/PR)

Para o saudoso evangelista Billy Graham, um dos mais respeitados pregadores do século, o comunismo era mais do que uma ideologia, mas uma “religião inspirada, dirigida e motivada pelo próprio diabo” e para ele, “quem apoia declara guerra ao Deus o todo poderoso”.

Essa aversão dos evangélicos as ideias defendidas por Karl Marx fez com que muitos expoentes da doutrina socialista tentassem se infiltrar nas igrejas cristãs, conseguindo algum êxito. É o caso de Leonardo Boff, um simpatizante do socialismo que defende a famigerada “teologia da libertação”.

Amigo de Lula, teólogo, escritor, filósofo e professor emérito da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), Leonardo Boff, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem as “características do Anticristo”.

“O país está sem direção nenhuma e é governado por alguém que tem as características do Anticristo. A Escritura, quando fala do inimigo da vida, que usa o nome do Messias para atacar, mentir, enganar seu povo, [diz que] esse é o Anticristo. Mais do que uma pessoa, é um espírito inimigo da vida, inimigo de tudo que é bom”, afirmou o comunista.

Recentemente, Boff participou de uma live com o ex-presidente Lula, que o considera como seu conselheiro espiritual. No meio da conversa Lula acabou confessando que o PT não existiria se não fosse a teologia da libertação, que tem como objetivo perverter o cristianismo, submetendo a “doutrina” marxista.

Trending