Siga-nos!

Mundo

Cultos online são censurados ou banidos na China

Regime comunista aproveita pandemia para aumentar perseguição e controle sobre cristãos

Publicado

em

ANÚNCIO

A internet tem sido o canal usado pela maioria das igrejas do mundo para continuar a se comunicar com os fiéis e evangelizar os perdidos em meio à quarentena e isolamento social, mas não na China.

O ministério Bitter Winter, especializado em denunciar a perseguição que ocorre no regime comunista, informa a censura e o banimento de celebrações religiosas transmitidas online.

ANÚNCIO

“Nossa primeira e única reunião online foi bloqueada pelo governo logo após o início”, explicou um líder cristão da província de Jiangxi acrescentando que antes da pandemia, a igreja deles teve de mudar de local pelo menos cinco vezes por causa do assédio das autoridades.

Outro pastor, da província oriental de Shandong, promoveu um culto online para sua congregação, mas teve a reunião interrompida menos de 20 minutos após o início. Alguns dias depois, ele tentou outra plataforma online, mas também não conseguiu.

Cultos online são censurados ou banidos na China

Aviso da YY, rede social chinesa sobre restrição de transmissão de cultos (Bitter Winter)

ANÚNCIO

Dois conselhos cristãos da região descobriram a estratégia dos cristãos e emitiram um aviso em 23 de fevereiro, exigindo que todas as igrejas da província parassem de transmitir seus cultos imediatamente.

Cultos online são censurados ou banidos na China

Informe de conselhos cristãos. (Bitter Winter)

Já em 28 de fevereiro, o Departamento de Trabalho da Frente Unida de Nanhu, no distrito de Jiaxing, emitiu um aviso exigindo investigações sobre as atividades religiosas online. De acordo com o pedido, todas as transmissões ao vivo teriam que ser interrompidas.

Cultos online são censurados ou banidos na China

Aviso do Departamento de Trabalho da Frente Unida. (Bitter Winter)

“Nenhuma organização ou indivíduo poderá transmitir ao vivo ou transmitir atividades religiosas, incluindo orar, queimar incenso, ordenações, cantar as escrituras, realizar missa, adorar ou receber o batismo on-line na forma de texto, foto, áudio ou vídeo”, afirma as Medidas para o Gerenciamento de Informações Religiosas na Internet emitidas em setembro de 2018 pela Administração Estatal da China para Assuntos Religiosos.

Somente as organizações que possuem licenças emitidas pelo regime comunista podem transmitir serviços religiosos ou fornecer informações relacionadas à fé através da internet. Ainda assim, tal conteúdo é fortemente regulado e censurado.

“O Departamento de Segurança Pública tem informações sobre todos os membros de todos os grupos do WeChat, e são realizadas inspeções na rede, especialmente rigorosas durante a pandemia”, explicou um pastor da igreja Three-Self de Shandong.

ANÚNCIO

Filho, esposo e pai.