Siga-nos!

Política

“Com ajuda de Deus, deixarei um legado”, diz pastor ao assumir Ministério da Educação

Milton Ribeiro assumiu o comando da pasta após indicação do presidente.

Michael Caceres

Publicado

em

Jair Bolsonaro e Milton Ribeiro (Foto: Reprodução)

Ao assumir o comando do Ministério da Educação nesta quinta-feira (16), uma das pastas mais sensíveis do governo Bolsonaro, o pastor Milton Ribeiro disse que espera deixar um legado “com ajuda de Deus”. O presidente Jair Bolsonaro participou da cerimônia de forma virtual.

“Tenho consciência que não iremos solucionar o problema de educação no País. Mas procuraremos sim, com a ajuda de Deus, deixar um legado positivo e de esperança para as gerações futuras”, disse o novo ministro.

Pastor presbiteriano e com um currículo que inclui doutorado em Educação, Ribeiro afirmou que com sua formação religiosa ele tem compromisso com valores constitucionais da laicidade do Estado e do ensino público.

“Conquanto, tendo a formação religiosa, o compromisso que assumo hoje ao tomar posse está bem firmado e bem localizado em valores constitucionais da laicidade do Estado e do ensino público. Assim, Deus me ajude”, acrescentou Ribeiro.

Milton Ribeiro foi vice-reitor da Universidade Mackenzie antes de ter sido nomeado para a Comissão de Ética Pública da Presidiência da República, onde permanecia até a indicação. O nome teria sido sugerido pelo ministro Jorge Oliveira.

Ao discursar, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que como “um ministro voltado para o diálogo” o novo chefe da Educação irá usar sua experiência para fortalecer os valores defendidos pelo governo, dando sinal que a pasta não fugirá dos embates ideológicos que tanto desafiam o ensino no país.

“Tenho certeza que a transição será tranquila. Você terá como, pontualmente, colocar gente ao teu lado com o mesmo espírito seu. Se bem que, pode ter certeza, grande parte do ministério pensa como você. E eles agora, na sua pessoa, terão como fazer valer o seu potencial”, disse o presidente.

Quando o nome foi anunciado, o novo ministro chegou a ser alvo de comentários preconceituosos nas redes sociais, pelo fato de ter um ministério eclesiástico, sendo pastor e pregador. As críticas tinham um forte tom de preconceito religioso.

Trending