Siga-nos!

Mundo

Clínicas privadas brasileiras vão comprar vacina COVID-19 da Índia

Publicado

em

Clínicas privadas brasileiras planejam comprar 5 milhões de doses da vacina COVID-19 desenvolvida pela empresa indiana Bharat Biotech, informou sua associação na segunda-feira, um dia depois que o órgão regulador da saúde da Índia aprovou o uso emergencial.

Clínicas privadas brasileiras vão comprar vacina COVID-19 da Índia

Fonte: (Reprodução/Internet)

A compra da Covaxin

A Bharat Biotech ainda não solicitou a aprovação da Anvisa, órgão regulador de saúde do Brasil, para sua vacina Covaxin, e a agência disse que ela teria que passar por testes de fase III no país.

Geraldo Barbosa, chefe da Associação Brasileira de Clínicas de Vacinas (ABCVAC), que vai chefiar uma delegação à Índia que parte na segunda-feira, disse que já foi assinado um memorando de entendimento com a Bharat Biotech.

Fique por dentro: Brasil vai importar 2 milhões de doses da vacina AstraZeneca, ainda não aprovada para uso

“Essa deve ser a primeira vacina disponível no mercado privado do Brasil”, disse. O plano é que 5 milhões de doses da Covaxin cheguem ao Brasil em meados de março, para serem vendidas por clínicas privadas depois que órgãos reguladores aprovarem a vacina.

A Anvisa afirmou em nota neste domingo que a Covaxin não se enquadra no processo de envio contínuo de dados para registro de vacinas e a vacina teria que passar por testes clínicos em fase tardia no Brasil.

Veja também: As moderadas celebrações do Ano Novo brasileiro encontraram-se com silêncio na ala COVID-19

No domingo, o regulador de medicamentos da Índia, DCGI, aprovou a vacina da Covaxin e da AstraZeneca para uso emergencial, a primeira aprovação de vacinas na Índia.

O rastreamento rápido da vacina caseira enfrentou dúvidas de especialistas da indústria e legisladores da oposição porque a empresa não publicou dados de eficácia.

Covaxin está atualmente passando por testes em estágio final no maior teste desse tipo na Índia. Uma porta-voz da Bharat Biotech disse que 24.000 voluntários foram recrutados de uma meta de 26.000 para o ensaio de Fase III, que começou em novembro.

Leia também: Brasil relata 17.341 novos casos de coronavírus, 293 mais mortes

A empresa farmacêutica, com sede em Hyderabad, no sul da Índia, produz milhões de doses de vacinas para hepatite, zika, encefalite japonesa e outras doenças.

Em novembro, executivos da Bharat Biotech visitaram o Brasil e ofereceram a vacina e uma possível parceria para transferência de tecnologia.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters