Siga-nos!

Ciência & Saúde

Cientistas alertam para chegada de “vespas assassinas” nos EUA

Europa luta para erradicar a praga, sem sucesso.

Neto Gregório

Publicado

em

Vespas gigantes assassinas asiáticas (WSDA)

Cientistas norte-americanos estão em alerta para o que temem ser uma invasão de vespas gigantes asiáticas (vespa-mandarina) no país. Nativas da Ásia, elas foram vistas nos EUA pela primeira vez em dezembro do ano passado.

Os insetos chegaram acidentalmente à França em 2004, onde começaram a se espalhar pela Europa desde então. Especialistas estimam que as vespas colonizam a uma taxa de 60 a 80 quilômetros por ano.

A espécie, que chegou à América, invadiu outros países europeus, incluindo a Espanha em 2010, Portugal e Bélgica em 2011, Itália em 2012 e Alemanha em 2014. Em 2016 chegaram ao Reino Unido.

A bióloga Jenni Cena relatou à BBC que no Japão morrem entre 30 e 50 pessoas por ano, vítimas das picadas das vespas gigantes.

Elas também representam uma ameaça às abelhas, o que pode gerar um impacto devastador nos ecossistemas e o declínio global na polinização e na produção de mel.

“Menos de 30 (vespas), podem dizimar uma colmeia inteira em questão de horas”, observa Cena. Diferente das abelhas na Ásia, nos EUA as abelhas não têm mecanismo de defesa natural contra as vespas gigantes.

“Se encontrá-las, corra e nos chame!”, alerta a especialista no assunto Chris Looney. Ela explica que os cientistas precisam saber “todas as vezes” que as vespas forem encontradas “se quisermos ter esperança de erradicação”.

Filho, esposo e pai.

Trending