Siga-nos!

China diz para cristãos renunciarem Jesus e adorarem o ditador Xi Jinping

Símbolos do cristianismo estariam sendo substituídos por imagens de líderes comunistas.

Michael Caceres

Publicado

em

Homem pendura retrado de Xi Jinping ((Foto: Reprodução/Free Tibet)

O regime ditatorial comunista da China vem impondo medidas para restringir a liberdade religiosa no país, incluindo ordens para que os cristãos renunciem sua fé em Jesus para adorarem os líderes do Partido Comunista da China.

Segundo o site Bitter Winter, mídia especializada em temas relacionados a liberdade religiosa e os direitos humanos na China, os cristãos de baixa renda têm sido coagidos pelas autoridades para renunciar sua fé e adorar o ditador Xi Jinping, sob risco de perderem qualquer benefício social em meio a crise causada pelo coronavírus.

Um membro de uma igreja autorizada no país, vinculada ao Movimento Patriótico das Três Autonomias, disse que o regime comunista estaria inspecionando as igreja para arrancar símbolos religiosos e substituir imagens de Jesus Cristo pelo retrato de Mao Tsé-Tung, fundador do Partido Comunista chinês e pela imagem de Xi Jinping.

“As famílias religiosas mais pobres não podem receber dinheiro do Estado por nada — elas devem obedecer ao Partido Comunista pelo dinheiro que recebem”, relatou o cristão.

Entre os relatos, um oficial ligado ao partido chinês teria invadido uma casa na cidade de Heze, na província de Shandong, onde colocou cartazes de Mao e Jinping. “Estes são os maiores deuses. Se você quer adorar alguém, eles são os únicos”, disse o oficial.

Um pregador local também teria tido sua igreja doméstica invadida em maio, quando símbolos cristãos foram removidos e substituídos por imagens do tirano Mao Tsé-Tung, responsável pela morte de milhões.

“Todas as famílias pobres da cidade foram instruídas a exibir imagens de Mao Tsé-Tung”, disse o pregador. “O governo está tentando eliminar nossa crença e quer se tornar deus, em vez de Jesus”.

Trending