Siga-nos!

Mundo

Brasil vai requisitar seringas para plano de vacinação COVID-19

Publicado

em

O governo brasileiro vai requisitar estoques excedentes dos fabricantes de seringas e agulhas do país, enquanto se prepara para iniciar uma campanha nacional de vacinação contra COVID-19 sem garantia de abastecimento.

Brasil vai requisitar seringas para plano de vacinação COVID-19

Fonte: (Reprodução/Internet)

A requisição de seringas

O Ministério da Saúde anunciou a medida na noite da segunda-feira e disse que ainda planeja realizar outra licitação para a compra das seringas de produtores brasileiros.

Fique por dentro: Brasil registra 543 novos óbitos de COVID-19, mais de 20.000 casos

“Esta requisição visa atender às necessidades mais urgentes para iniciar o plano nacional de vacinação”, disse o ministério em nota, acrescentando que aguarda dados dos estoques disponíveis dos fabricantes.

O Brasil, cujo presidente Jair Bolsonaro minimizou a gravidade do coronavírus, tem o segundo surto mais letal depois dos Estados Unidos, mas está atrás dos vizinhos Chile e Argentina no lançamento de uma vacina.

Também corre o risco de não ter seringas suficientes para distribuir vacinas depois que uma sessão de licitação inicial na semana passada não conseguiu licitar seringas e agulhas suficientes.

Veja também: Diplomatas brasileiros pressionam para proteção feita na Índia

O Ministério da Saúde pretendia comprar 331 milhões de seringas no leilão eletrônico da semana passada, mas comprou apenas 8 milhões, ou 2,5% de sua meta, após definir preços de referência abaixo dos lances das empresas.

O grupo de lobby da indústria de equipamentos e suprimentos médicos do Brasil, ABIMO, alertou que o programa de vacinação contra o coronavírus estaria em risco se o governo não estabelecesse preços “realistas” e pudesse ser forçado a fazer importações caras.

Leia também: Nova variante do coronavírus do Reino Unido confirmada no Brasil

A ABIMO não comentou imediatamente sobre a ação do governo de requisitar suprimentos excedentes de seringas e agulhas.

O lobby disse que o Brasil tem três fabricantes principais com ampla capacidade para produzir as seringas e agulhas necessárias.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters