Siga-nos!

Política

Brasil vai comprar vacina Sinovac, diz governador do estado

Publicado

em

O governo federal do Brasil vai comprar 46 milhões de doses da vacina CoronaVac que está sendo desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech Ltd, disse um governador do estado na quarta-feira, enquanto as autoridades se apressam para fornecer vacinas em um vale-tudo às vezes confuso.

Brasil vai comprar vacina Sinovac, diz governador do estado

Fonte: (Reprodução/Internet)

A compra de vacinas Sinovac

Leia também: Brasil busca investigação criminal dos principais executivos da Trafigura

Wellington Dias, o governador de esquerda do estado do Piauí, disse que o ministro da Saúde brasileiro, Eduardo Pazuello, falou sobre o plano do governo federal de comprar a vacina, que está sendo produzida no Instituto Butantan, um centro biomédico no estado de São Paulo.

Ele disse a jornalistas que viu uma cópia de um contrato de produção e entrega durante uma reunião com Pazuello, acrescentando que 9 milhões de doses devem ser entregues em 25 de janeiro.

Em nota, o Instituto Butantan informou que enviou nesta quarta-feira uma proposta para fornecer a vacina em resposta a um pedido do Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Fique por dentro: Grandes empresas de alimentos pedem que comerciantes de soja ajudem a salvar a savana brasileira

Pazuello havia dito anteriormente em outubro que o governo planejava comprar 46 milhões de doses do CoronaVac, mas o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse rapidamente que Pazuello estava enganado.

O líder de direita, um crítico da China, frequentemente ridicularizou a vacina CoronaVac, dizendo que ela não é confiável por causa de sua “origem”.

Até o momento, a principal aposta do governo federal tem sido na vacina produzida pela AstraZeneca PLC.

Veja também: Bolsonaro reconhece vitória de Biden e estende a mão para presidente eleito

A postura de Bolsonaro provocou tensão significativa com o inimigo político João Doria, o governador de São Paulo e provável rival na eleição presidencial de 2022, que fez uma grande aposta no CoronaVac e disse que os moradores do estado começarão a receber a vacina em 25 de janeiro.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters