Siga-nos!

Featured

Brasil lança sistema de pagamentos instantâneos ‘Pix’, Whatsapp vai entrar ’em breve’

Publicado

em

ANÚNCIO

O Banco Central do Brasil lançou na segunda-feira uma plataforma de pagamentos instantâneos que vai agilizar e simplificar as transações, além de fomentar a competição no setor financeiro e atrair novos players, como as grandes tecnologias Facebook Inc e Google.

Foto: (reprodução/internet)

Pix

Batizado de “Pix”, o sistema estatal de pagamentos instantâneos permite que consumidores e empresas façam transferências de dinheiro 24 horas por dia, sete dias por semana, sem a necessidade de cartões de débito ou crédito. 

ANÚNCIO

Leia também: Petrobras abre processo de venda de cluster de petróleo legado de Marlim

Também é gratuito para pessoas físicas.

“Enormes mudanças estão em andamento nos pagamentos. A sociedade exige algo que seja rápido, barato, seguro, transparente e aberto, disse o presidente do banco central, Roberto Campos Neto, em entrevista coletiva virtual para marcar o lançamento.

ANÚNCIO

A medida do Banco Central do Brasil visa aumentar a concorrência em um sistema bancário altamente concentrado, com seus cinco principais credores, como Itaú Unibanco Holding SA e Banco Santander Brasil SA, detendo cerca de 80% dos ativos e depósitos totais.

Veja também: Agricultores norte-americanos comemoram alta do preço da soja enquanto Brasil perde

Como o banco central estabelece preços baixos para transferências de dinheiro e pagamentos via Pix, o regulador acredita que a concorrência aumentará

A processadora de cartões do Itaú, Rede, disse na segunda-feira que não cobrará dos comerciantes que usarem o Pix nos primeiros seis meses.

Em 2030, Pix deve responder por 22% dos pagamentos eletrônicos no Brasil, disse a consultoria Oliver Wyman em um estudo recente. No ano passado, os pagamentos de débito e cartão no Brasil totalizaram 1,8 trilhão de reais (US $ 382 bilhões).

Pix fará com que os bancos percam algumas taxas à medida que os indivíduos o usam.

Leia também: Candidatos apoiados pelo Bolsonaro afundam nas eleições locais

A plataforma entrou no ar às 9h30, horário local, de segunda-feira, e pode ser usada para comprar qualquer coisa, de sorvete a um carro, disse Campos Neto.

De acordo com o banco central, 72 milhões de registros foram abertos para o serviço, por 30 milhões de pessoas físicas e 1,8 milhão de empresas.

Campos Neto também disse que o banco central está em negociações com grandes players de tecnologia, como Google e Facebook, para entrar no mercado brasileiro de serviços de pagamentos.

“O WhatsApp começará a fazer P2P em breve. Conversei muito com o CEO deles, estamos fazendo um bom progresso. Ele me disse que o processo (conosco) foi mais rápido do que em outros países”, disse Campos Neto.

Fique por dentro: Uber aceita pagamentos rápidos no Brasil em parceria com Ebanx

“Nossa única preocupação é passar por todos os critérios de aprovação e ter um sistema que incentive a competição”, disse Campos Neto.

Cerca de 750 empresas se inscreveram no Pix para aceitar e oferecer pagamentos instantâneos. A Uber Technologies Inc disse que começou a aceitar pagamentos Pix, na esperança de adicionar clientes sem banco. 

Futuramente, o Pix adicionará novas funcionalidades, como cash-back e pagamentos pré-programados, que atualmente são oferecidos principalmente por meio de cartões de crédito.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News

Fonte: Reuters

ANÚNCIO