Siga-nos!

Ayrton Senna do Brasil!

A morte de Senna marcou o fim de uma era vitoriosa do Brasil na Fórmula 1.

Publicado

em

ANÚNCIO

Primeiro de maio, data mundialmente conhecida por ser o dia do trabalhador,  e que é comemorado no mundo inteiro, é também  um dia de saudades, principalmente no Brasil, já que fazem 26 anos que Ayrton Senna nos deixou, naquele fatídico 1º de maio de 1994, dia que o Brasil perdeu um herói nacional, que marcou não apenas suas geração, mas, a história do país.

Era mais uma manhã de domingo, naquele tempo, todos esperávamos ansiosamente para assistir a fórmula 1, dia em que o país se acostumou a ouvir as vitórias de Senna, através das sempre emocionantes narrações de Galvão Bueno: “Ayrton, Ayrton, Ayrton, Ayrton Senna do Brasil”[1].

ANÚNCIO

A Fórmula 1 era muito assistida no Brasil, e desde 1972[2]  a Rede Globo transmitia aos domingos as corridas, e o país se apaixonou por esta modalidade esportiva, onde tivemos grandes campeões como Émerson Fitipaldi e Nelson Piquet, o que popularizou esta competição no Brasil.

Foi na década de 1980, que surgiu Ayrton Senna da Silva, um paulistano, nascido em São Paulo, que aos poucos foi  conquistando o povo brasileiro, sua primeira vitória foi no autódromo do Estoril em Portugal no dia 21 de  Abril de 1985, quando pilotando uma Lotus num dia muito chuvoso, Senna venceu a corrida, e passou a ser conhecido como o “Rei da chuva[3]”,  conquistando a partir daquele momento, também o carinho do povo português, sendo que aqui em Portugal onde moro atualmente,  até hoje, as pessoas sentem muitas saudades de Senna.

Com o passar da década de 80, Senna foi conquistando grandes vitórias, num tempo em que rivalizava com  gigantes da Fórmula 1, como Nelson Piquet, Alain Prost e  Nigel Mansell, bons tempos, na minha opinião, os melhores da história da modalidade, e em meio a estas   lendas do automobilismo, com muito talento e profissionalismo, Senna foi conquistando o seu espaço, e em 1988, venceu o seu primeiro campeonato mundial, quando ganhou a histórica corrida em Suzuka  no Japão, sendo que ali, começou uma relação de carinho do publico japonês com o piloto brasileiro.

ANÚNCIO

Já em 1990, Senna chegava ao Bicampeonato mundial, e no ano de 1991, o piloto se sagrou tricampeão da Fórmula 1, alcançando em sua carreira vitoriosa, a expressiva marca de participação em 161 grandes prêmios, alcançando 41 vitorias, 80 pódios, 65 pole positivos e 19 voltas mais rápidas, o que trazia alegria e orgulho ao povo Brasileiro, pois Senna representava a imagem do país, já que além de ser um grande piloto, era um patriota, pois quando vencia uma corrida, sempre agitava com orgulho a bandeira do Brasil.

Entretanto, naquele domingo 1º de maio de 1994, grande parte dos brasileiros estava acompanhando o Grande Prêmio direto de Imola na Itália, quando de-repente, ouvimos a frase que ecoa no ouvido de milhões de brasileiros há anos, e que foi narrada por Galvão Bueno: “Senna bateu forte”[4].

Naquele momento, parece que uma sensação de impotência foi tomando conta de todos, lembro como se fosse hoje, que fui para o meu quarto chorar, quando ouvimos aquilo que ninguém queria ouvir, que foi informado pelo jornalista brasileiro Roberto Cabrini: “Morreu Ayrton Senna da Silva… Uma notícia que a gente nunca gostaria de dar.”[5]

Sendo assim,  só posso dizer que tenho muitas saudades, faço parte daquela geração que teve o prazer de assistir Ayrton Senna pilotando,  sua morte trouxe muita tristeza para cada um de nós, como bem traduziu o jornalista  Roberto Cabrini sobre o fato de ter informado na televisão a morte de Senna “ Eu sabia que era como anunciar a morte de um parente próximo de cada um dos brasileiros.”[6]

Aquele 1 º de maio de 1994, nunca será esquecido, naquele dia, na curva Tanburello, Senna concluiu sua missão, deixando um legado que permanece na mente e no coração de milhares de pessoas ao redor do planeta, já que a morte do piloto brasileiro  foi muito sentida no mundo todo, e Senna  recebeu homenagens em muitos países.

No Brasil, a sua morte gerou muita comoção, pois foi a perda de um herói nacional, durante o momento do velório e das homenagens, pessoas choravam compulsivamente, era como se tivessem perdido um ente querido ou um grande amigo. Sendo assim, no dia 5 de maio em São Paulo, milhares de pessoas acompanharam o trajeto do corpo de Senna que seguiu desde a Assembleia Legislativa onde foi velado até o cemitério do Morumbi, em uma manifestação nunca vista no país.

Assim, a morte de Senna marcou o fim de uma era vitoriosa do Brasil na Fórmula 1, sua morte até hoje é muito sentida por todos, sendo que em 1999, o piloto foi eleito pela revista “Isto É”, uma das mais importantes do país, como o esportista do século XX no Brasil[7].

Hoje, fazem 26 anos que o Brasil perdeu Ayrton Senna, na minha opinião, o maior piloto de todos os tempos, e quando paro para pensar na carreira vitoriosa de Senna, lembro das vitórias inesquecíveis, e das manhãs de domingo, onde todos esperávamos ansiosamente por mais uma vitória, daquele que foi o maior Símbolo esportivo das últimas décadas em nosso país, que além de ser um grande piloto, amava muito o Brasil, algo que Senna fazia questão de enfatizar como declarou:  “O fato de ser brasileiro, me enche de orgulho”[8]

[1] Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=2lT2AhVBnmY. Acesso em: 20. maio.2020.
[2] RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Jornal Nacional, a notícia faz história. Jorge ZAHAR Editor. Rio de Janeiro, 2004, p. 256.
[3][3]Disponível em:  https://www.ayrtonsenna.com.br/ha-35-anos-senna-conquistava-sua-primeira-vitoria-na-f1-em-portugal/. Acesso em 01.05.2020
[4] Disponível em:https://www.youtube.com/watch?v=uHBrAl-xtfs. Acesso em 03. maio.2020.
[5] RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Jornal Nacional, a notícia faz história. Jorge ZAHAR Editor. Rio de Janeiro, 2004, p. 256.
[6] RIBEIRO, 2004, p. 256.
[7] Disponível em: https://istoe.com.br/28670_O+ESPORTISTA+DO+SECULO/. Acesso em 03.05.2020.
[8] Disponível em: https://www.ayrtonsenna.com.br/idolo/. Acesso em 01.05.2020.

ANÚNCIO