Siga-nos!

Featured

Arquivos do produtor CoronaVac do Brasil para uso emergencial

Publicado

em

O parceiro brasileiro na produção de uma vacina contra o coronavírus desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech entrou com pedido na sexta-feira para autorização de uso emergencial junto à agência reguladora de saúde Anvisa, um dia após anunciar os resultados de um ensaio em estágio avançado.

Arquivos do produtor CoronaVac do Brasil para uso emergencial

Foto: (reprodução/internet)

Os dados

A vacina chinesa é a primeira com pedido de uso emergencial feito no Brasil, onde mais de 200.000 morreram de COVID-19 – o pior número de mortes fora dos Estados Unidos.

Leia também: Vacina Sinovac 78% eficaz em ensaio no Brasil, especialistas pedem mais detalhes

A Anvisa vai avaliar o pedido e chegar a uma conclusão em até 10 dias, disse o regulador em nota.

O Butantan, que é financiado pelo governo do estado de São Paulo, já começou a envasar e finalizar as doses da vacina conhecida como CoronaVac com ingredientes da China. O instituto disse separadamente que havia entrado com o pedido na manhã de sexta-feira.

Funcionários do Butantan anunciaram na quinta-feira que a vacina foi 78% eficaz contra infecções leves por COVID-19 e evitou totalmente os casos graves em um teste em estágio final, no entanto, a falta de detalhes deixou alguns exigindo mais transparência.

Veja também: Fiocruz do Brasil busca uso emergencial da vacina AstraZeneca, afirma Anvisa

O processo apresentado à Anvisa na sexta-feira deve conter os dados detalhados do ensaio para que os reguladores analisem as conclusões do Butantan.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse na quinta-feira que o governo federal compraria a produção total do CoronaVac do Butantan neste ano, assinando um acordo de 100 milhões de doses para abastecer um programa nacional de imunização a partir deste mês.

Traduzido e adaptado por equipe O Verbo News
Fonte: Reuters